Ir para o conteúdo

Prática do futebol pelos bancários paulistanos é destaque na HCS-Manguinhos

22/11/2023

César Guerra Chevrand (COC/Fiocruz)

A relação dos bancários da cidade de São Paulo com a prática do futebol, entre 1929 e 1932, é o tema de um dos artigos inéditos incluídos na atualização do volume 30 da revista História, Ciências, Saúde - Manguinhos. O conteúdo está disponível na página do Scielo.

Tendo como fontes os relatórios, documentos e publicações da Associação dos Funcionários de Bancos do Estado de São Paulo, a doutoranda do Programa de Pós-graduação em História Comparada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Gabriela Marta Marques de Oliveira e o professor adjunto do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Edivaldo Góis Junior exploram a relação entre esporte, saúde e a vida profissional e associativa dos bancários.

Na mesma seara da prática de esportes em São Paulo na primeira metade do século 20, Daniele Cristina Carqueijeiro de Medeiros (Universidade da República - Uruguai), Marcelo Moraes e Silva (Universidade Federal do Paraná) e Evelise Amgarten Quitzau (Universidade Federal de Viçosa) utilizam jornais paulistanos e revistas produzidas pelos clubes para analisar como o rio Tietê era retratado pelos clubes de remo e pela imprensa esportiva nas primeiras quatro décadas do século 20, em São Paulo. Após ser considerado um lugar de saúde e lazer, o Tietê foi visto como um local impróprio para as práticas esportivas.

Os dois artigos fazem parte da nova leva de textos publicados na página da revista no portal SciELO. Em 2023, a HCS-Manguinhos estreou um novo formato de veiculação conhecido como sistema de publicação contínua. Em vez de ter as quatro tradicionais edições anuais, o periódico da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) passa a ter uma única edição anual, atualizada ao longo dos meses com novos conteúdos.

Confira o volume 30 da HCS-Manguinhos.

Análise

Experiencias interactivas y conversacionales de familias visitantes en “Darwin, la exposición,explorando las especies”, en el Museo Trompo Mágico, México é o título do artigo de Luisa Massarani, Jessica B. Carneiro, Bruna Ibanes Aguiar, Graziele Scalfi, do Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia e da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz).

Professor da Universidade do Estado da Bahia (Uneb/Alagoinhas), Ricardo dos Santos Batista assina o artigo Os limites do financiamento de bolsistas da Fundação Rockefeller: Maria Palmira Macedo Tito de Morais e a enfermagem internacional, 1936-1966.

A origem da quijila/kijila na cultura africana, especialmente no universo cultural dos imbangalas (jagas) e das populações ambundos e kimbundos, que viviam nas regiões de Angola e do Congo, nos séculos 17 e 18, e a transformação do conceito de quijila tanto na África quanto no Brasil são temas de investigação da professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) Junia Ferreira Furtado.

Professora da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), Eliane Cristina Deckmann Fleck assina com o professor da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) Antonio Dari Ramos o artigo Sobre “os remédios e medicinas que se haviam dado a negros enfermos”: os gastos com a saúde e a morte de escravos do Ofício da Província Jesuítica do Paraguay, 1711-1745.

Ramon Reis, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ/Macaé), e Francisco Ortega, professor da Universitat Rovira i Virgili (Espanha), utilizam a revisão bibliográfica integrativa para analisar alguns dos determinantes históricos e epistemológicos que fundamentam o surgimento da memória traumática e o estabelecimento do trauma como campo semântico.

Fleeing nazism: Alejandro Lipschütz and the cases of Alfons Nehring and Käte Pariser é o título do artigo de Marcelo Sánchez Delgado, da Universidade do Chile, sobre uma rede de abrigo para cientistas judeus que fugiram da Alemanha para a América Latina.

Jorge Márquez-Valderrama, professor da Universidade Nacional da Colômbia, e Victoria Estrada-Orrego, do Instituto Tecnológico Metropolitano (Colômbia) assinam juntos artigo sobre a profissionalização da odontologia na Colômbia durante a primeira metade do século 20, considerando as tensões entre a prática da odontologia não certificada e a odontologia certificada.

Fontes

Um parecer elaborado pelo médico Ernesto Benedicto Ottoni e endereçado ao presidente da província de São Paulo, José Antonio Saraiva, em 1855, é transcrito e analisado pelo professor da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Jean Luiz Neves Abreu e do professor da Secretaria de Educação do Estado de Minas Gerais Lucas Samuel Quadros na seção Fontes. O tema é o projeto de estabelecimento de um lazareto para morféticos na cidade de São Paulo em meados do século 19, com destaque para as concepções da época sobre as terapêuticas da lepra.

Resenhas

Mais quatro resenhas foram incluídas no volume 30 da HCS-Manguinhos. O livro Astronomía, literatura y espiritismo: Camille Flammarion en América Latina, de Verónica Ramírez, Eliza Sevilla e Agostí Nieto-Galan, lançado em 2022, é objeto da resenha de Moema Vergara (Museu de Astronomia e Ciencias Afins). O livro Coffee is not forever: a global history of the coffee leaf rust, de Stuart McCook, recebeu a resenha de Claiton Silva, da Universidade Federal da Fronteira Sul (SC).

A obra De manicomios a instituciones psiquiátricas: experiencias en Iberoamérica, siglos 19 y 20, de Andrés Ríos e Mariano Ruperthuz, é analisada pela doutoranda em História da Universidade de Guanajuato (México) Manuela Barrios López. Professor da Universidade de Brasília, Gustavo Mesquita resenha o livro de Thiago da Costa Lopes, Em busca da comunidade: ciências sociais, desenvolvimento rural e diplomacia cultural nas relações Brasil-EUA (1930-1950), lançado pela Editora Fiocruz em 2020.


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir