Ir para o conteúdo

Casa de Oswaldo Cruz promove seminário online ‘Empoderar arquivos’

03/06/2021

Evento, que integra a programação da 5ª Semana Nacional de Arquivos, discute os desafios institucionais e os usos sociais dos arquivos

“Empoderar arquivos: desafios institucionais e usos sociaisé o tema do seminário online que a Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) promove em 9 de junho, das 14h às 17h30. A atividade, que integra a programação da 5ª Semana Nacional de Arquivos, será transmitida pela página da Casa no Facebook. Para participar, não é necessário se inscrever. 

Organizado pelo Departamento de Arquivo e Documentação da Casa, o evento discutirá a ideia de “empoderar arquivos” a partir de múltiplas perspectivas. A primeira delas toma os arquivos como instrumentos de empoderamento institucional, que exigem ferramentas à altura dos desafios contemporâneos.  

Arquivos empoderados também são aqueles que atingem públicos diversificados transpondo muros institucionais e usos acadêmicos. Os participantes debaterão ainda os arquivos enquanto elementos estratégicos no processo de empoderamento dos distintos grupos sociais, ao conferir visibilidade e legitimidade a trajetórias pouco representadas nos espaços de memória. 

Programação:

Mesa I 

Coordenadora: Renata Lourenço Mendes Kessler 

14:00-14:30 - Karina Praxedes: Manual de produção e uso de mensagens de correio eletrônico da Fiocruz: passos iniciais rumo à gestão e preservação 

O uso de correio eletrônico para produção e tramitação, interna ou externa, de informações institucionais teve aumento significativo, em virtude de prover celeridade às atividades organizacionais e tomadas de decisão. Todavia, mensagens dessa natureza são reconhecidas como documentos arquivísticos e como tais devem ser geridas e preservadas com base na legislação e metodologia arquivísticas. Apresentamos neste seminário o “Manual de produção e uso de mensagens de correio eletrônico”, desenvolvido pelo Sigda/Fiocruz e aprovado em 2020, cujo objetivo é orientar os usuários do correio eletrônico da instituição sobre procedimentos a observar na identificação, produção, uso e padronização de assinaturas desses documentos, como etapa primordial de um conjunto de ações para sua gestão e preservação. 

Karina Praxedes é assistente técnica do Sigda/Fiocruz no Departamento de Arquivo e Documentação da COC/Fiocruz e coordenadora do Conselho Técnico desse sistema. Doutoranda em Ciência da Informação pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT). Mestre em Gestão de Documentos e Arquivos e graduada em Arquivologia, ambos pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Membro do DRIADE – Estudos e Práticas de Preservação Digital. 

14:30-15:00 - Ivone Sá: Elaboração e aplicação de metodologia para identificação dos tipos de dados de pesquisa da Fiocruz 

Apresenta-se a metodologia de identificação dos tipos de dados de pesquisa produzidos e coletados em pesquisas realizadas em unidades da instituição. A metodologia foi desenvolvida e aplicada por profissionais da Casa de Oswaldo Cruz envolvendo arquivistas, bibliotecários, historiadores e cientistas da informação. Sua aplicação ocorreu no âmbito do projeto-piloto de Gestão de Dados de Pesquisa, coordenado pela Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz. Destacam-se seu ineditismo e a importância, na sua elaboração, da troca de conhecimentos entre as diferentes áreas, como também sua efetividade, constatada a partir dos resultados até agora obtidos. 

Ivone Sá é arquivista do Departamento de Arquivo e Documentação da COC/Fiocruz e especialista em gestão de metadados e dados de pesquisa. Doutora em Ciência da Informação pela UFF, mestre em Saúde Pública pela ENSP e graduada em Arquivologia pela UFF. Membro do Conselho Técnico do Sistema de Gestão de Documentos e Arquivos (SIGDA/Fiocruz), do Grupo de Pesquisa Estudos e Práticas de Preservação Digital (IBICT) e do Grupo de Pesquisa Estudos Ônticos e Ontológicos em Contextos Informacionais (PPGCI/UFF).  

15:00-15:30 Nathalia Vieira Serrano:  Discutindo a preservação do acervo documental da COC a partir de um estudo de caso 

A preservação de documentos envolve várias ações ligadas ao campo da arquivística e da conservação e restauração. Quando lidamos especificamente com documentos danificados, decisões importantes devem ser tomadas com relação às possibilidades de tratamento existentes ou até mesmo à sua eliminação. A apresentação aborda a política institucional da Fiocruz em torno da preservação de documentos e a aplicação dessa política, em um estudo de caso que trata de documentos fotográficos. 

Nathalia Serrano é mestre em Conservação e Restauração de Bens Culturais pela Universidade Politécnica de Valencia – UPV, Espanha, e conservadora-restauradora do Departamento de Arquivo e Documentação da COC/Fiocruz. É especialista em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde pela COC, com graduação em Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis e em Belas Artes, ambos pela Universidade Federal de Minas Gerais (EBA/UFMG).  

Mesa II

Coordenadora: Ana Luce Girão Soares de Lima 

16:00-16:30 Érica de Castro Loureiro: Documentos de arquivo como fonte para a memória institucional: projeto Memória Administrativa da Fiocruz 

Ações voltadas à adequada composição de arquivos institucionais, associadas a outras fontes de informação, podem empoderar o arquivo como um lugar privilegiado para projetos de memória institucional. A apresentação aborda o projeto Memória Administrativa da Fiocruz e seus resultados parciais. Alinhado à política de memória institucional da Fiocruz, o projeto, desenvolvido no Departamento de Arquivo e Documentação da COC, propõe uma metodologia voltada à criação e disponibilização de verbetes que informam, fundamentam, contextualizam ou interpretam acontecimentos referentes a criações/modificações/extinções de estruturas, funções e ações ao longo da trajetória institucional da Fiocruz e de suas Unidades. Os verbetes são disponibilizados em uma customização da base de dados AtoM (Acess to Memory), também realizada no âmbito do projeto. 

Érica de Castro Loureiro é analista de gestão no Departamento de Arquivo e Documentação da Casa de Oswaldo Cruz da COC/Fiocruz e doutoranda em Memória Social na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Mestre em Ciência da Informação (Ibict/UFRJ), especialista em Comunicação e Saúde (Icict/Fiocruz) e em Gestão de Organizações de Ciência e Tecnologia em Saúde (Ensp/Fiocruz), com graduação em Comunicação Social-Jornalismo (ECO/UFRJ). 

16:30-17:00 - Cristiane d’Ávila: Jovem Cientista Contra Epidemias: jogo digital como estratégia de difusão arquivística 

Em prol do cumprimento das funções sociais, científicas e culturais dos arquivos, entre os processos de seu empoderamento encontram-se iniciativas interdisciplinares dirigidas a um público ampliado. A apresentação trata dos resultados do jogo digital Jovem Cientista Contra Epidemias, elaborado pelo Departamento de Arquivo e Documentação da COC/Fiocruz para a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2020. Com estratégias de gamificação, o jogo utiliza imagens do arquivo histórico da Fiocruz e visa estimular o conhecimento sobre a história da saúde pública, através de questões sobre as ações de Oswaldo Cruz no combate às epidemias no Rio de Janeiro, no início do século XX. A marca atual de mais de mil participantes do jogo, disponível on line, revela interesse de todas as faixas etárias por temas da história e pelos arquivos históricos. 

Cristiane d'Avila é jornalista da Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, doutora em Letras, mestre e especialista em Comunicação pela PUC-Rio. Atua em projetos de jornalismo científico e comunicação institucional. Colaboradora dos portais Brasiliana Fotográfica, Café História e Sinal Aberto (Portugal). 

17:00-17:30 - Aline Lacerda e Luciana Heymann: Mulheres na Fiocruz: trajetórias e arquivos 

Aborda a problemática de gênero nos arquivos, especificamente o lugar da mulher e a representatividade feminina nos acervos documentais. A apresentação parte de um duplo ponto de vista. De um lado, aborda o projeto “Mulheres na Fiocruz: trajetórias”, desenvolvido pela COC/Fiocruz, com gravação de depoimentos e produção de documentário sobre as “pioneiras” na instituição. De outro, reflete sobre a pequena presença de arquivos de mulheres no acervo preservado pelo Departamento de Arquivo e Documentação da COC, o que espelha a pouca representatividade feminina no campo das ciências biomédicas e indica que o gesto de doar arquivos a instituições de memória ainda é prerrogativa majoritariamente masculina. Nossa proposta é refletir sobre ações que empoderem arquivos e mulheres, ampliando a visibilidade de seus documentos e suas trajetórias. 

Luciana Heymann é pesquisadora do Departamento de Arquivo e Documentação da COC/Fiocruz, doutora em Sociologia e professora do Programa de Pós-Graduação em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde (PPGPAT/Fiocruz) e do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Documentos e Arquivos (Unirio). 

Aline Lacerda é pesquisadora do Departamento de Arquivo e Documentação da COC/Fiocruz e especialista no tratamento arquivístico de documentos fotográficos de valor permanente. Possui doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (USP), com tese sobre a fotografia nos arquivos, graduação em História e mestrado em Comunicação, ambos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir