Ir para o conteúdo

Visita noturna ao Museu da Vida Fiocruz reúne alunos da Educação de Jovens e Adultos

2022-12-06


Alunos do EJA reunidos em frente ao Castelo da Fiocruz. Foto: Jeferson Mendonça.

Cerca de 120 alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) fizeram uma visita noturna a espaços do Museu da Vida Fiocruz, no campus Manguinhos. O grupo se concentrou em frente ao Castelo da Fiocruz para iniciar a visitação, depois de lanchar no restaurante da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV). Em seguida, após rápida apresentação sobre o passeio, eles conheceram a origem da Fiocruz com o historiador Bruno Mussa e foram visitar as exposições “Vida e Saúde: relações (in)visíveis, na Cavalariça, Manguinhos Revelado: um lugar de ciência”, no Pavilhão do Relógio, e Rios em Movimento, no Salão de Exposições Temporárias.  

A iniciativa é uma parceria da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), por meio do Museu da Vida Fiocruz, com a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV) com apoio da Coordenação-geral de Infraestrutura dos Campi da Fundação (Cogic) e aconteceu em 23 de novembro. 

Irone Maria Santiago, de 57 anos, aluna da Escola Gustavo Capanema, em Manguinhos, ficou encantada com o passeio. “Estou achando maravilhoso, porque eu só via o castelo lá de casa. Eu já tinha vindo para um trabalho anterior, mas nunca tinha visto esse castelo. Eu quero subir, conhecer”, disse Irone, já sabendo que a visita ao edifício-sede da Fundação não poderia ser feita por conta da interdição para obras, ainda em andamento.  
A professora Renata Sodré, da coordenação da EJA da EPSJV, lembrou que a iniciativa começou em 2019. Segundo Renata, antes da visita há uma ação preparatória, em que os alunos aprendem sobre saúde, ciência, educação ecológica e a importância da Fundação na região. Ao participarem da experiência, “os alunos aprendem a valorizar a Fiocruz e o lugar que estão ocupando na Escola Politécnica”, disse a professora, para quem eles representam a instituição para estudantes de outras escolas.  

Também participou do passeio Vicente de Jesus Siqueira, de 74 anos, que cursa o Fundamental IV na Escola Politécnica. Presente também à visita de 2019, ele pretende continuar estudando até concluir o ensino médio, em mais um ano e meio. “Se tiver vida e saúde, eu continuo”, afirmou Siqueira, que há cinco anos é estudante do EJA. 

A coordenadora do Serviço de Educação do Museu da Vida Fiocruz, Maria Paula de Oliveira Bonatto destacou a troca de experiência que a visita proporciona. “A Educação de Jovens e Adultos, é um de nossos públicos mais queridos, tanto pela experiência de vida que essas pessoas trazem para compartilhar conosco quanto pela necessidade que esses estudantes e trabalhadores têm de acessar equipamentos culturais que em geral estão indisponíveis no horário noturno”, constatou, acrescentando que o grupo já vinha participando de atividades ao longo do ano. “O Museu da Vida Fiocruz priorizou esse grupo em diversas atividades esse ano, e foi maravilhoso encontrar professores e estudantes animados e interessados nesse diálogo com a Fiocruz, sempre prontos para nos trazer aprendizados significativos associados às lutas do povo brasileiro”, concluiu Bonatto. 

“Nossos alunos amaram [o passeio noturno]”, afirmou a professora Jane Trajano, diretora do Ciep Gustavo Capanema, que reconheceu a importância da Fiocruz como espaço de produção de ciência e conhecimento, ao destacar o contato dos alunos com a arte e a memória. “Muitos moram tão próximos e desconhecem a potência desse lugar. Foi uma noite onde a palavra circulou, o afeto estava presente em todos que nos guiaram, que nos transportaram, que estiveram conosco. Que o ano que vem possamos estar mais próximos pensando em oportunidades de aprendizagem e partilha de experiências nesses nossos territórios, disse a professora ao final do passeio. 

Participaram da atividade alunos do Ciep Juscelino Kubitschek de Oliveira, em Manguinhos, Centro de Educação de Jovens e Adultos da Maré (Ceja Maré), Ciep Ministro Gustavo Capanema, na Maré, e Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, no campus da Fiocruz Manguinhos.

Imagem de mediadora do Museu da Vida Fiocruz com aluna do EJA
Alunos do EJA visitaram a exposição Rios em Movimento. Foto: Jeferson Mendonça

A Educação de Jovens e Adultos de Manguinhos e Maré acontece sob a responsabilidade da Quarta Coordenadoria Regional de Educação, órgão da Secretaria Municipal de Educação. Segundo Maria Paula Bonatto, as coordenadoras Denise da Silva e Marcelle do Nascimento fizeram questão de participar dessa visita. Na Fiocruz, a Eja é um curso desenvolvido sob orientação, certificação e gestão financeira da EPSJV, com apoio da Rede CCAP, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). O trabalho é desenvolvido com turmas de Ensino Fundamental e Ensino Médio, em dois espaços de atuação: três turmas estão instaladas no espaço físico da Rede CCAP, localizada na Vila Turismo, no Complexo de Manguinhos e quatro turmas funcionam na sede da EPSJV. 

Do time do Museu da Vida Fiocruz/ COC participaram, além de Bruno Mussa Curi e Maria Paula Bonatto, Liene Werger, Priscilla Abrantes, Luciana Salles, André Bordalo, Alessandro Batista, Heliton Barros, Miguel Oliveira e Leandro Carreira. O evento também contou com apoio do fotógrafo Jeferson Mendonça e da jornalista Melissa Cannabrava. 

Segundo Bonatto, o apoio da Cogic foi fundamental garantindo transporte, segurança e limpeza no horário noturno. “Todos participaram de forma voluntária e cheios de alegria em receber esse público tão especial”, disse acrescentando que foram distribuídas máscaras e publicações do Museu da Vida Fiocruz.


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir