Ir para o conteúdo

Casa de Oswaldo Cruz lamenta tragédia no Museu Nacional

03/09/2018

Unidade dedicada à memória e à preservação do patrimônio da Fundação Oswaldo Cruz, a Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) se solidariza com a comunidade científica do Museu Nacional e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) diante da tragédia que se abateu sobre a mais antiga instituição de História Natural e Antropologia do país. Não há como mensurar tal perda. A história científica e cultural de nosso país, a memória e a diversidade de nosso povo encontravam-se depositadas na instituição desde o Brasil Colônia.

O Museu Nacional é uma das mais importantes instituições de pesquisas e ensino do país, dedicada aos estudos sobre a biodiversidade zoológica, botânica, paleontológica, mineralógica e antropológica. Sob sua guarda estavam amostras únicas da biodiversidade brasileira, de seus povos nativos, e os registros documentais depositados em seu arquivo.

A perda incalculável de grande parte de seu valiosíssimo acervo histórico-científico reunido durante os 200 anos da instituição resulta do continuado descaso dos órgãos públicos ao patrimônio cultural brasileiro. Cenário que se acentua se mantida a política recente de restrição de investimento em ciência, educação e cultura.

Soma–se a isso a enorme relevância do prédio histórico que abrigava seu acervo, casa da família real e imperial, tombado em 1948 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A construção bicentenária se via diante de diversas dificuldades associadas à falta de recursos para sua conservação, resultante das precárias condições impostas às universidades públicas.

A sociedade brasileira perde enormemente com a falta de proteção ao seu patrimônio científico.


Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir