Ir para o conteúdo

Museu da Vida leva exposição sobre biodiversidade a Petrópolis

24/08/2018


Exposição apresenta diferentes biomas brasileiros no Palácio Itaboraí, em Petrópolis 

A partir de 3 de setembro, moradores e visitantes da Cidade Imperial poderão conhecer a mostra, que discute as relações entre biodiversidade, saúde e perspectivas socioambientais.

Biodiversidade é a exuberância da vida na Terra e o Brasil é um país muito, mas muito exuberante mesmo. Aqui vivem mais de 20% do total de espécies do planeta, o que nos torna responsáveis pela gestão do maior patrimônio de biodiversidade do mundo. É uma responsabilidade e tanto! Refletir sobre os desafios e as oportunidades que isso representa para a nossa vida e a nossa sociedade é o convite que a exposição “Biodiversidade e Saúde” faz aos seus visitantes. A partir de 3 de setembro, ela estará em cartaz no Palácio Itaboraí, um charmoso prédio histórico onde funciona a unidade especial da Fiocruz em Petrópolis (RJ).

Realizada pelo Museu da Vida da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), em parceria com o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), “Biodiversidade e Saúde” é formada por painéis e módulos interativos. As atrações incluem um jogo da memória sobre espécies brasileiras ameaçadas de extinção e uma atividade sobre as relações ecológicas que acontecem no ambiente da floresta. Além disso, os visitantes poderão conhecer mais sobre os seis biomas brasileiros – a Floresta Amazônica, maior floresta tropical úmida do mundo; o Pantanal, maior planície inundável; o Cerrado de savanas e bosques; a Caatinga de florestas semi-áridas; os campos dos Pampas; e a floresta tropical pluvial da Mata Atlântica.

A fauna brasileira reúne cerca de 9 mil espécies de vertebrados, entre mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes, e mais de 100 mil espécies de invertebrados. Em relação à flora, são mais de 46 mil espécies catalogadas. A biodiversidade como fonte de saúde é um dos destaque da exposição, que aborda o reconhecimento científico de plantas medicinais e a distribuição de fitoterápicos no SUS.

Povos indígenas, quilombolas e caiçaras, entre outros grupos que representam nossa rica sociobiodiversidade, possuem conhecimentos tradicionais sobre uso e conservação de uma variedade de espécies. Na economia, a biodiversidade também ocupa um lugar importante, movimentando indústrias e gerando empregos. Fonte de alimentos, medicamentos, combustíveis, clima estável e tantos outros benefícios, a biodiversidade tem um valor incalculável.

A exposição destaca essas relações entre a biodiversidade, a saúde e suas perspectivas socioambientais, e busca discutir os impactos da intervenção humana na natureza – estima-se que a atual taxa de extinção de espécies esteja entre mil e 10 mil vezes maior que a natural. Esse debate é fundamental, especialmente neste momento, em que nos aproximamos do final da Década da Biodiversidade (2011-2020). “Biodiversidade e Saúde” teve apoio da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro e patrocínio das empresas JAM Engenharia de Ar Condicionado, Globe Química, Relthy e Nortec Química. 

SERVIÇO:
Exposição “Biodiversidade e Saúde”
Inauguração: 3 de setembro, das 8h30 às 16h30
Datas e horários de visitação: de terça a sexta, das 8h30 às 16h30, e aos sábados, das 9h às 16h, até 21 de dezembro
Local: Palácio Itaboraí / Fiocruz Petrópolis
Endereço: Rua Visconde de Itaboraí, 188, Valparaíso
Informações: (24) 2246-1430

 

 


Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir