Ir para o conteúdo

Casa de Oswaldo Cruz recebe doação do arquivo pessoal de Luis Rey

14/03/2018

No centenário de nascimento de Luis Rey, a família do médico e pesquisador emérito da Fiocruz decidiu doar à Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) o arquivo pessoal do cientista, que reúne documentos textuais e iconográficos datados das décadas de 1920 a 2000. A cerimônia de assinatura do termo de doação será realizada no auditório do Museu da Vida, em Manguinhos, no Rio de Janeiro, no dia 22/3, às 14h.

Consagrado como um dos nomes mais importantes da parasitologia do país, Luis Rey faleceu em 5 de março de 2016, às vésperas de seu aniversário de 98 anos. Os documentos de seu arquivo referem-se a sua vida pessoal, como relações familiares e de sociabilidade, bem como a sua trajetória profissional, desde os tempos de graduação até a sua produção intelectual na área de parasitologia.

A doação do arquivo integra a programação que celebra o centenário de nascimento do cientista. Em sua homenagem, o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) produziu o documentário Rey, ciência em defesa da vida, com o apoio da VideoSaúde, do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz). A direção é de Marina Saraiva e de Wagner de Oliveira. A estreia do filme no Museu da Vida também será realizada no dia 22/03, às 14h. No dia 23/3, às 10h, o Centro de Estudos do IOC/Fiocruz vai celebrar a sua memória com palestra seguida por depoimentos de colegas e alunos.

Luis Rey

Pesquisador emérito da Fiocruz e consultor da Organização Mundial da Saúde (OMS), Luis Rey dedicou 60 anos de sua vida ao ensino da parasitologia. Autor de diversos livros de referência da área, Rey também registrou suas memórias na autobiografia Um Médico e Dois Exílios. Em seus vinte anos de Fiocruz, Rey foi responsável pela criação do Laboratório de Biologia e Controle da Esquistossomose do IOC/Fiocruz, que chefiou até 2005. Saiba mais sobre a sua biografia aqui.

Acervo Arquivístico

O Acervo Arquivístico da Casa de Oswaldo Cruz abriga os arquivos pessoais de personalidades que se destacaram nos campos das ciências biomédicas e da saúde pública, como os de Oswaldo Cruz e Carlos Chagas. Disponível para consulta no Departamento de Arquivo e Documentação (DAD), o Arquivo Histórico é composto hoje de mais de 100 fundos e coleções, com documentos institucionais e pessoais dos gêneros textual, iconográfico, cartográfico, sonoro e filmográfico, constituindo repositório singular da memória e da história da saúde no Brasil.


Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir