Ir para o conteúdo

Recepção da psicanálise no Chile no início do século 20 é tema do Encontro às Quintas

20/09/2017

O pesquisador Mariano Ruperthuz Honorato é o convidado do próximo Encontro às Quintas, do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz. Fará a palestra “¿Qué hacer con esa fuerza potente y sublime?: historia de la recepción del psicoanálisis en Chile y la construcción de un país moderno (1924-1950)”, que aborda a recepção da psicanálise no Chile, por parte do mundo médico a partir das primeiras décadas do século 20.

Pensado como um sistema de ideias e crenças de caráter transnacional, foram gerados os passos metodológicos que possibilitou informação inovadora para reconstruir como o freudismo foi rejeitado, primeiro pela incipiente cena psiquiátrica chilena, acusando-o de uma desproporcional ênfase sexual. Na década de 1930, ocorrerá uma reavaliação da psicanálise, qualificando-a como um saber especializado e preventivo acerca da vida sexual dos chilenos. O realce do mecanismo da “sublimação”, estimado por sua capacidade de fazer transmutar a periculosidade do “ego” em produtos culturalmente aceitos, serão acontecimentos que marcarão este “retorno do reprimido” do fator sexual da psicanálise no Chile.

Mariano Ruperthuz Honorato é psicólogo da Universidade de Santiago do Chile (USACH), pesquisador do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FONDECYT) e da da Escola de Psicologia/USACH. Em 2013, apresentou sua tese de doutorado intitulada “Freud y los chilenos: Historia de la Recepción del Psicoanálisis en Chile (1910-1949)”. Possui formação em psicanálise e é membro da Société Internationale D´Historie de la Psychiatrie et la Psychanalyse (SIHPP).  Ruperthuz Honorato integra o Programa de “Historia de los Saberes Psi”, do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social (IDES-CONICET, Buenos Aires) e é coeditor da revista on-line CulturasPsi/PsyCultures (www.culturaspsi.org).

Entre os livros publicados pelo pesquisador, estão “Estimado Dr. Freud: una historia cultural del psicoanálisis en América Latina”(Edhasa, 2017); “Freud en Latinoamérica”, em coautoria com M. Plotkin (Edhasa, 2016); e “Freud y los chilenos: historia de la recepción del psicoanálisis en Chile (1910-1949)”, publicado pela Pólvora Editorial em 2015. Mariano Ruperthuz Honorato escreveu artigos como “El Psicoanalista como personaje en las novelas de Juan Marín y Samuel Gajardo, Chile 1930-1940”; e Ensayos Freudianos de Juan Marín: psicoanálisis chileno a comienzos del siglo XX (Revista de Psicología, Santiago, Chile, v.23, n.2, p.139-143, 2015).

Encontro às Quintas

Coordenação: Maria Rachel Fróes da Fonseca

Convidado: Mariano Ruperthuz Honorato

Data: 21 de setembro | Horário: 10h

Local: sala 401 - Prédio Expansão

Endereço: Avenida Brasil, 4036 – Manguinhos (Rio de Janeiro-RJ)

Informações: (21) 3882-9095 | E-mail: historiasaude@coc.fiocruz.br


Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir