Ir para o conteúdo

Historiadores discutem saúde planetária e os ODS em evento virtual

19/02/2021

4º Encontro Luso-brasileiro de História da Medicina Tropical e 2º Simpósio Nacional de História das Doenças e Artes de Curar acontecem de 21 a 24 de junho 

A atual produção historiográfica sobre o conceito de "saúde planetária", na sua interface com os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, estará no centro das discussões do 4º Encontro Luso-brasileiro de História da Medicina Tropical e do 2º Simpósio Nacional de História das Doenças e Artes de Curar, que acontecem entre 21 e 24 de junho de 2021 em formato virtual.  

O evento é organizado conjuntamente pela Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), pelo Departamento de Medicina Preventiva da Universidade de São Paulo (USP) e pelo Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (CIUCHT) da Universidade de Lisboa e da Universidade Nova de Lisboa.  

A comissão receberá propostas de comunicações sobre os seguintes tópicos, em torno do tema desta edição: epidemias e pandemias na História; políticas e redes transnacionais de saúde pública: debates científicos e circularidades; saúde planetária, doença, ambiente e sustentabilidade; assistência à saúde e artes de curar; instituições médicas e de saúde pública: organização corporativa e ações sobre o território; museus, coleções e patrimônio médico; e ética, saúde planetária e desenvolvimento sustentável.  

Os interessados em realizar apresentações em formato de comunicações livres e de simpósios temáticos podem submeter seus trabalhos até 22 de março de 2021; os resultados da aprovação serão divulgados até 22 de abril de 2021. Já as inscrições para participação como ouvinte serão abertas em 26 de abril de 2021 no site do evento.  

​O evento visa ainda fortalecer a colaboração entre pesquisadores, possibilitando uma ampla a discussão transdisciplinar sobre os determinantes históricos, sociais e ambientais da medicina à escala planetária, além de suas relações com as políticas de saúde e desafios societais, com ênfase nos séculos 20 e 21.  

Agenda 2030 na Fiocruz  

Considerando a análise histórica, de conjuntura e prospecção de futuro da instituição, a presidência da Fiocruz instituiu a “Estratégia Fiocruz para a Agenda 2030” (EFA 2030) em 2017. A estratégia incorpora o documento das Nações Unidas ao desenvolvimento estratégico e ao programa de trabalho da Fiocruz em médio e longo prazos, com um entendimento que parte da determinação social da saúde e de temas conexos, dos estudos sociais de ciências, da ecologia de saberes e da teoria crítica sobre inovação e de modelos de desenvolvimento. Para saber mais sobre a Estratégia Fiocruz para Agenda 2030, clique aqui.


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir