Ir para o conteúdo

Hospital Frei Antônio e Laboratório de Febre Amarela da Fiocruz são tema de live, em 3/11

26/10/2020

O mestrado profissional em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde, coordenado pela Casa de Oswaldo Cruz (COC)/Fiocruz, promove a live Patrimônio Arquitetônico da Saúde: um olhar sobre o Hospital Frei Antônio e o Laboratório de Febre Amarela da Fiocruz. Com transmissão ao vivo pela página da COC no Facebook, o evento, em 3 de novembro, às 15h, contará com o historiador Tarcísio Bastos, da Faculdade Souza Marques, e Rosana Zouain, arquiteta da COC/Fiocruz, ambos são ex-alunos do mestrado.

Leia também:
Mestrado em Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde tem inscrições abertas

A mediação da live será feita pelo coordenador do Programa de Mestrado em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde, o arquiteto, urbanista e pesquisador Renato Gama-Rosa, que também coordena o Docomomo Brasil. A transmissão é uma iniciativa do mestrado, que está com inscrições abertas para 2021 até 19 de novembro. O evento faz parte da série ‘Conexão #emCasa’, que tem como objetivo promover palestras, debates e discussões on-line, diante da restrição a atividades presenciais impostas pela pandemia de Covid-19.

Sobre os participantes

O historiador Tarcísio Bastos é mestre pelo programa da COC/Ficoruz e pesquisador do Centro de Memória Leopoldina Amélia Ribeiro de Souza Marques, da Faculdades Souza Marques. Bastos analisou o processo de tombamento do antigo Hospital Frei Antônio, construção do século 18, localizado em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Pouco conhecido dos cariocas, este antigo leprosário esteve ameaçado de demolição na década de 1980 por conta das obras de instalação do Complexo de Gás da Leopoldina, no subúrbio da capital fluminense. A arquitetura do edifício revela aspectos que perpassam trezentos anos de história, mas que vive em constante ameaça. Mais recentemente esteve novamente ameaçado pelo Projeto Porto Maravilha, e se encontra fechado, servindo de locação para filmes e programas de TV. 

Com mestrado pelo mesmo programa, a arquiteta Rosana Soares Zouain trabalha no Departamento de Patrimônio Histórico da COC/Fiocruz. Ela estudou o edifício do Laboratório de Febre Amarela, no campus da Fiocruz em Manguinhos. Construído entre os anos de 1954 a 1960, este edifício, projeto do arquiteto Roberto Nadalutti, sofreu, ao longo de sua trajetória, alterações internas e externas. Rosana buscou analisar os elementos que atribuem valor a essa edificação, para que se empreendam políticas de conservação que mantenham a integridade de suas características arquitetônicas modernistas originais e de grande valor plástico, e, ao mesmo tempo, permitam que ainda seja utilizado para compor a cadeia de produção de vacinas contra a febre amarela, de suma importância à instituição.  

Patrimônio Arquitetônico da Saúde
Data: 3 de novembro
Horário: 15h
Transmissão: fb.com/casadeoswaldocruz


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir