Ir para o conteúdo

Luiz Antonio de Castro Santos: "Nosso grande problema na saúde coletiva é o esquecimento da história"

29/11/2019

Castro Santos. Foto: Site do MUHM.

O passado, o presente e o futuro das ciências sociais em saúde estão na pauta da entrevista com o sociólogo Luiz Antonio de Castro Santos, realizada pelos pesquisadores da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) Carlos Henrique Assunção Paiva, Fernando Pires-Alves, Luiz Antonio Teixeira e o professor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) Luiz Antonio de Castro Santos.

Publicado na última edição da revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos, o depoimento traz as memórias e as análises de um dos pioneiros nas reflexões da sociologia histórica sobre as questões de saúde. Sua tese de doutorado sobre a reforma sanitária em São Paulo e na Bahia, publicada no início dos anos 1980, abriu novos e promissores caminhos para se pensar a formação de nossa nacionalidade.

Referência de gerações de cientistas sociais brasileiros, Luiz Antonio de Castro Santos teve participação fundamental também na criação da Casa de Oswaldo Cruz em 1986. Ao falar dos programas de saúde da família, o sociólogo faz um alerta sobre o "esquecimento da história":

"A equipe faz o trabalho que educadoras sanitárias, sobre quem Lina (Faria) escreveu, desempenhavam no interior paulista desde os anos 1930. Então o nosso grande problema na saúde coletiva é o esquecimento da história. Falamos do trabalho das visitadoras hoje em dia e nos esquecemos de que tivemos uma tradição fortíssima nesse setor que foi deixada para trás com a urbanização da saúde".

Confira a entrevista completa.


Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir