Ir para o conteúdo

Projeto ‘História do combate à fome no Brasil’ é contemplado em edital da Faperj

10/10/2019

O projeto ‘História do Combate à Fome no Brasil: ideias, atores e instituições (1946-1965)’, desenvolvido pelo pesquisador da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) Rômulo de Paula Andrade foi contemplado no programa Jovem Cientista do Nosso Estado, um dos principais editais da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

De acordo com Rômulo, a pesquisa compreende o período em que o debate sobre o combate à fome ganhou destaque na agenda global de saúde pública, incluindo a etapa de criação de importantes instituições insternacionais que atuam no país: a Organização de Alimentação e Agricultura das Nações Unidas (FAO) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). “O estudo pretende retratar a história do combate à fome no país a partir das perspectivas políticas, técnicas e sociais, destacando as cooperações e interações entre as diversas instituições nacionais e internacionais que atuaram no combate à fome no Brasil”, explicou. 

Mapear autores, obras e reflexões sobre a temática da (má) alimentação no Brasil no século 20, através de artigos em periódicos especializados e em anais de congressos é outro objetivo do estudo. “A ideia é contribuir para estudos envolvendo a saúde global e suas interações com demandas locais, buscando a compreensão de um período democrático, rico em debates, com encontros e possíveis desencontros de agendas e interesses”, disse. 

Segundo o pesquisador, os recursos favorecem o estabelecimento de novas redes com pesquisadores de diferentes regiões do Brasil e da América Latina. “Os recursos servirão para pesquisa em arquivos de fora do Rio de Janeiro, com o intuito de estabelecer um breve panorama das fontes de história de combate à fome e de história da alimentação”, destacou Rômulo de Paula Andrade. 

O Jovem Cientista do Nosso Estado apoia projetos coordenados por especialistas em fase intermediária da carreira acadêmica (até dez anos de doutoramento). As propostas selecionadas receberão recursos mensais por até 36 (trinta e seis) meses, visando prover apoio para o desenvolvimento de seus projetos de pesquisa.


Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Google Plus E-mail Imprimir