Ir para o conteúdo

Expedição científica Penna-Neiva

Belisário Penna sob uma jurema, em Lages (PI), em maio de 1912
Das cinco expedições científicas realizadas pelo Instituo Oswaldo Cruz entre 1911 e 1913, a viagem de Arthur Neiva e Belisário Penna foi a mais longa e a que percorreu a área mais extensa. Foto: Acervo COC.
Belisário Penna
Penna, Arthur Neiva e companheiros de viagem percorreram em cavalos, burros e a bordo de trens, quatro mil quilômetros entre os meses de março a outubro de 1912. Foto: Acervo COC.
Distribuição de água na Estrada de Ferro do São Francisco
As expedições do Instituto Oswaldo Cruz produziram um sólido documento das condições e modos de vida das regiões visitadas. Na foto, distribuição de água em Itumirim (BA), em março de 1912. Foto: Acervo COC.
Engenho de fiar
Em Peri-Peri (BA), em julho de 1912. Foto: Acervo COC.
Família Donnell
Em Parnaguá (PI), em junho de 1912. Foto: Acervo COC.
Escola mantida pela iniciativa privada
Em São Raimundo Nonato (PI), em maio de 1912. Foto: Acervo COC.
Engenho de cana da Fazenda do Serrote
O engenho de cana, localizado em Caracol (PI), era um dos poucos existentes na região. Maio de 1912. Foto: Acervo COC.
José Teixeira
Fotógrafo da Expedição Penna-Neiva, 1912. Foto: Acervo COC.
Abertura de cacimba d'água
Cacimba aberta em Parnaguá (PI), julho de 1912, para prover água para os expedicionários. Foto: Acervo COC.
 
Engenho de farinha
Em Jatobá (BA), em junho de 1912. Foto: Acervo COC.
Acampamento
Ao centro, sentados, Belisário Penna e Arthur Neiva. Em Bebe Mijo (PI), em junho de 1912. Foto: Acervo COC.
 
 
Powered by Phoca Gallery