Ir para o conteúdo

Encontro às Quintas discute história das ciências sociais e diplomacia cultural

2020-09-18

O cientista social Thiago da Costa Lopes é o convidado do Encontro às Quintas que abre a programação deste semestre. Pela primeira vez, o evento será realizado em formato online em razão da pandemia de Covid-19, com transmissão pela nossa página da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) no Facebook em 24 de setembro, às 10h. O tema desta edição é ‘História das ciências sociais e diplomacia cultural em perspectiva transnacional: convergências e assimetrias na circulação de ideias entre Brasil e EUA (1930-1950)’.

Assista à gravação:

Thiago da Costa Lopes é doutor em História das Ciências e da Saúde pela Casa de Oswaldo Cruz, onde defendeu a tese Sociologia Rural, Desenvolvimento de Comunidade e Modernização nas relações Brasil - Estados Unidos: um estudo em perspectiva transnacional (1940 – 1950), com a qual venceu o concurso de teses da Comissão Fullbright, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação do Ministério da Educação (MEC).

“Nesta apresentação, considero os ganhos e os desafios das abordagens transnacionais na história das ciências a partir de minhas pesquisas sobre a circulação de ideias entre Brasil e EUA no âmbito das ciências sociais”, afirma o pesquisador sobre sua palestra no Encontro às Quintas, evento coordenado pelo Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz da COC.

Thiago analisa os estudos do sociólogo norte-americano T. Lynn Smith e do brasileiro José Arthur Rios. Segundo o pesquisador, os dois cientistas sociais tiveram ideias vinculadas por aspectos nacionais e do contexto global, incluindo temas como ascensão do nazifascismo, a Segunda Guerra Mundial e a Guerra Fria.

“A partir da trajetória e da produção intelectual do sociólogo T. Lynn Smith, ator importante da diplomacia cultural norte-americana, e do brasileiro José Arthur Rios, seu ex-aluno na Universidade da Louisiana [EUA], enfoco os planos de engenharia social, centrados na organização de comunidades e na reforma agrária, que prescreveram para o Brasil rural nos anos 1940 e 1950”, explica Lopes.

Segundo o pesquisador, "as ideias sociológicas de Smith e Rios não apenas estiveram vinculadas a diferentes contextos nacionais, como o New Deal de Roosevelt, o Estado Novo de Vargas e a redemocratização política no Brasil, como também se alimentaram de um amplo debate global – que acompanhou a ascensão do nazifascismo na Europa, a Segunda Guerra e os planos de cooperação técnica nos primórdios da Guerra Fria – sobre o destino dos grupos de localidade na modernidade, cujas forças, segundo argumentavam, expunham as coletividades às ameaças tanto do individualismo quanto do totalitarismo.”

Lopes indica que a circulação e a recepção distintas às obras de Smith e Rios evidenciam os efeitos desiguais dessas trocas, mas observa que a análise das fortes convergências entre ambos, assim como do papel desempenhado por tradições de pensamento social no Brasil na elaboração de suas visões, pode ampliar nossa compreensão sobre as relações intelectuais entre Brasil e EUA para além dos modelos usuais construídos em torno da ideia de recepção.

Encontro às Quintas

História das ciências sociais e diplomacia cultural em perspectiva transnacional: convergências e assimetrias na circulação de ideias entre Brasil e EUA (1930-1950)

Convidado: Thiago da Costa Lopes (Prêmio Capes - Comissão Fullbright 2019)

Coordenação: Tânia Salgado Pimenta

Data: 24 de setembro – 10h

Transmissão ao vivo pelo Facebook da COC

Informações: ppghistoriasaude@fiocruz.br


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir