Ir para o conteúdo

Unesco aprova criação da Cátedra Oswaldo Cruz de ciência, saúde e cultura

2020-06-26

Imagem: Acervo COC/Fiocruz.

Por Jacqueline Boechat

A Unesco, órgão das Nações Unidas para educação, ciência e cultura, aprovou a criação da Cátedra Oswaldo Cruz de ciência, saúde e cultura. O acolhimento da proposta apresentada pela Casa de Oswaldo Cruz (COC) em abril de 2019 e referendada agora pelo organismo demonstra o reconhecimento pelo órgão das Nações Unidas da importância da área das ciências biomédicas e da saúde e traz oportunidades para a Fiocruz, para a COC e seus programas de pós-graduação, em particular o de História das Ciências e da Saúde, no qual a cátedra estará apoiada. O projeto, que tem duração inicial de quatro anos, também abre espaço para a consolidação de uma nova agenda de pesquisa em Humanidades e temas relacionados.

Com 20 anos de existência, o Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde tem como características a interdisciplinaridade e a articulação de redes nacionais e internacionais. A criação da cátedra permitirá a expansão dessas redes e o incremento da produção científica nacional, regional e internacional, por meio da realização de eventos, lançamento de publicações e artigos em coautoria: “Isso nos dá a possibilidade de trazer pesquisadores para passar um tempo aqui, participar de cursos e seminários, enfim, fazer circular o conhecimento. Será um espaço de reflexão, aberto aos diferentes olhares sobre a ciência e seus desafios no mundo global”, explica o diretor da COC, Paulo Elian.

Isso nos dá a possibilidade de trazer pesquisadores para passar um tempo aqui, participar de cursos e seminários, enfim, fazer circular o conhecimento. Será um espaço de reflexão, aberto aos diferentes olhares sobre a ciência e seus desafios no mundo global

Segundo a coordenadora do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde, Gisele Sanglard, a instalação oficial da cátedra deve ocorrer em alguns meses: “Estamos apenas aguardando as diretrizes da Unesco”, esclarece. A pesquisadora apresenta ainda os principais objetivos de trabalho para os próximos quatro anos: “A meta é reforçar a colaboração Norte-Sul-Sul, contribuindo para congregar instituições de ensino e pesquisa das Américas e da Europa e assim ampliar as trocas de conhecimento acerca da história das ciências e da saúde e de seu patrimônio”, informa Sanglard, que coordenará a cátedra.

A representação da Unesco no Brasil também celebra a notícia e revela suas expectativas com a iniciativa: “Acreditamos que esta cátedra será uma importante aliada nas reflexões atuais sobre temas ligados à história da ciência, ciências biomédicas, cultura e humanidades. Este traço marcante – sua clara natureza interdisciplinar – será muito útil para as ações cada vez mais transversais conduzidas pela Unesco nesses campos. Ademais, contar com o apoio de uma instituição tão prestigiosa como a Fiocruz é motivo de grande alegria e temos convicção que importantes resultados e trabalhos se originarão dessa parceria que se inicia”, comenta Fabio Eon, Coordenador dos Programas de Ciências Humanas e Sociais e Ciências Naturais da Unesco no Brasil.

A cátedra nos permitirá ampliar parcerias internacionais e reforçar essa importante perspectiva de associar ciência e cultura em prol das ações junto à sociedade

Para a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, a cátedra representa a excelência do trabalho realizado pela instituição em construir pontes entre ciência e cultura, por meio dos estudos de história das ciências, de história da saúde e dos estudos sociais da ciência: “Promover essas pontes faz parte do coração da nossa instituição muito bem representado pela Casa de Oswaldo Cruz. Além de colocar meus cumprimentos como presidente da Fiocruz, somo a eles a minha alegria por ser membro do programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde, portanto, é um duplo motivo de satisfação”. A presidente afirma ainda que essa conquista potencializa o trabalho realizado pela COC: “A cátedra nos permitirá ampliar parcerias internacionais e reforçar essa importante perspectiva de associar ciência e cultura em prol das ações junto à sociedade”, conclui.

Programa de cátedras Unitwin/Unesco

Lançado em 1992, o Programa de Cátedras Unitwin/Unesco promove a cooperação e partilha interuniversitária internacional, a fim de reforçar as capacidades institucionais através da partilha do conhecimento e do trabalho em colaboração. O Programa apoia a criação de Cátedras Unesco e de redes Unitwin em áreas prioritárias estabelecidas no âmbito das competências do organismo, ou seja, educação, ciências naturais e sociais, cultura e comunicação.

Por meio dessas redes, instituições de ensino superior e de investigação em todo o mundo canalizam os seus recursos, tanto humanos como materiais, para enfrentar desafios prementes e contribuir para o desenvolvimento das suas sociedades. As redes e cátedras também servem como grupos de reflexão e como construtores de pontes entre o mundo acadêmico, a sociedade civil, as comunidades locais, a investigação e a definição de políticas.

 


Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir

Compartilhe

Facebook Twitter Whatsapp E-mail Imprimir